Amadis, figura quimérica e solitária incorpora uma mescla de referências literárias e cibernéticas. Este semi-herói que rouba o nome a outra personagem do romance cavaleiresco medieval ibérico, Amadis de Gaula, encontra-se perante um cenário virtual aparentemente idílico. Contextualizado num futuro próximo onde se especula a simbiose entre o homem e o avatar, Amadis debate-se sobre a possibilidade de ter chegado ao “Paraíso” – lugar último da existência virtual ocupado por personagens algo inesperadas: uma estátua de chimpanzé, um regador de jardim digital e um mordomo sem identidade. Entre diálogos e monólogos de uma banalidade quase inconsequente, “Amadis no Paraíso” é uma peça de João Timóteo e Vítor Freitas que têm vindo a explorar conceitos e narrativas envolvendo a virtualização da espécie humana – pós-humanismo.

Ficha Artística

Criação, encenação e texto – João Timóteo e Vitor Freitas
Interpretação: Luís El Gris, Lara Amaral, Ana Reis, Vitor Freitas
Música: Lara Amaral
Co-produção – TMG/Aquilo Teatro
Apoio à circulação: Fundação GDA
Figurinos: Ana Direito
Desenho de luz: Tiago Lopes
Produção: Rita Bárbara
Co-produção: TMG/Aquilo Teatro
Parceiros: Graeme Pulleyn/Nicho, Ritual de Domingo

QUEM?
Aquilo Teatro

O QUÊ?
Espetáculo de Teatro

PARA QUEM?
Público Geral

DURAÇÃO
90 minutos

QUANDO?
24 de Agosto, 2021. 21h30

ONDE?
Incubadora do Centro Histórico
Viseu, Portugal