Do espírito da partilha e da exploração, surge a sessão “Improvisação” que encerra o workshop Zootomia Movement. O performer brasileiro Ariel Ribeiro e os músicos viseenses Ana Bento e Bruno Pinto, juntam-se ao final da tarde, num ambiente descontraído, para explorarem sons e movimentos, emoções e improvisações, numa sessão aberta ao público.

SOBRE ARIEL RIBEIRO
Ator, bailarino e especialista em Zootomia, galardoado com o prémio Braskem de Teatro com o espetáculo ” Porque Hecuba ” com encenação de Márcio Meirelles e preparação de corpo e coreografia de Ariel Ribeiro (Zootomia).
Desde 2017, integra o corpo de colaboradores da Universidade Livre do Teatro Vila Velha, onde desenvolve a pesquisa autoral Zootomia e implementa em vários espetáculos a preparação corporal e dramaturgia do corpo em comunicação cénica, com base na Zootomia. Desenvolve também, a convite, a sua pesquisa na Universidade Livre de Artes do Circo, do Circo Picolino. Ainda em 2017, Ariel integrou a Escola de Ballet, Marília Nascimento.
Nos anos de 2015 e 2016, foi responsável por várias Residências Arstísticas Internacionais realizadas pelo Núcleo Vila Dança, no Teatro Vila Velha, nas quais teve oportunidade de trabalhar com Raul Martinez e Marko Fonzeca, coreógrafos do coletivo Los Innato (Costa Rica), Asier Zabaleta oriundo do País Basco (Espanha), Vladmir Rodriguez da Colômbia e a italiana Elena Ciavarella. Dessas residência resultaram espetáculos que foram apresentados no Brasil, Costa Rica e Espanha.
Ariel é formado pela Universidade Livre do Teatro Vila Velha, onde participou de diversos espetáculos como “Hamlet + Hamlet Machine” com encenação de Marcio Meirelles, coreografia Cristina Castro e preparação de voz Marcelo Jardim, espetáculo “Alice Através do Espelho” encenação Marcio Meirelles, coreografia Jonathas Rainer, preparação de elenco Bertho Filho, espetáculo “Macbeth” encenação Marcio Meirelles, coreografia Cristina Castro, preparação de voz Marcelo Jardim. Para além de ator na Universidade, Ariel ocupou lugares como bailarino e músico durante esse período onde colaborou para o processo de implementação de áudio-descrição para deficientes visuais, no Teatro Vila Velha.
Em paralelo, Ariel prepara atualmente o elenco de uma série para televisão e o elenco de uma curta metragem para cinema, com o seu método Zootomia.

SOBRE ANA BENTO
Multi-instrumentista, compositora e workshop leader, iniciou os estudos musicais no Conservatório de Música de Viseu. Licenciou-se em Educação Musical (2001) e frequentou uma pós-graduação em Musicoterapia no C.I.M. de Bilbao (2002). Paralelamente realizou um percurso formativo na área da pedagogia musical com Pierre Van Hawe, Jos Wuytack, Edwin Gordon, Verena Maschat, Murray Schafer, Soili Perkiö, entre outros. Estudou saxofone com Mário Santos e João Martins. No início da sua carreira fez parte da Orquestra Juvenil do Centro e, actualmente, integra os projectos Cabeça de Peixe, Tranglomango, Colectivo Gira Sol Azul e Stopestra, colaborando, pontualmente, noutros projectos musicais, nomeadamente The Dirty Coal Train, entre outros. Compôs, interpretou e dirigiu ao vivo a música de espectáculos encenados por Helen Ainsworth, Graeme Pulleyn, Sónia Barbosa, Rafaela Santos, Márcio Meirelles, Maria Gil, Filipa Francisco, Romulus Neagu, entre outros. Co-fundou a Associação Gira Sol Azul na qual colabora e integra a equipa de vários projectos musicais como concertos para bebés e famílias, Orquestra (in)fusão e o grupo A Voz do Rock. Desde 2008 que colabora em projectos do serviço educativo da Casa da Música (Porto) na qual integra a equipa Factor-E. É artista associada do Teatro Viriato desde 2014.

SOBRE BRUNO PINTO
Músico e compositor, frequentou os conservatórios de música de Viseu e Aveiro. Licenciou-se em Educação Musical em 2003. Teve aulas particulares, na área da música jazz, com Luís Lapa, Carlos Mendes, Mário Santos, Paulo Pinto e Nuno Ferreira e também na área da educação musical frequentou workshops de Jos Wuitack, Pierre van Hauwe, Murray Schaefer, Edwin Gordon. Integra os grupos Cabeça de Peixe (guitarra, composição e letras), Tranglomango, Colectivo Gira Sol Azul, Moto Moto, Tributal, Stopestra. No seio do Colectivo Gira Sol Azul tocou com Dominique Di Piazza, Freddie Gavita, Manuela Panizzo. Compõe música para teatro e bandas-sonoras, tendo colaborado com Helen Ainsworth, Rogério de Carvalho, Rafaela Santos, Filipe Raposo, Filipa Francisco. Compôs uma banda sonora para o filme mudo Paris Qui Dort, que estreou ao vivo a solo em Julho de 2014 no Teatro Viriato – Viseu. Integra o espectáculo Viajantes Solitários (Joana Craveiro/Teatro do Vestido) para o qual compôs a música. Colabora regularmente em projectos do serviço educativo da Casa da Música, Porto. Co- fundou a Associação Gira Sol Azul na qual colabora e integra a equipa de vários projectos musicais como concertos para bebés e famílias, Orquestra (in)fusão e o grupo A Voz do Rock.

QUEM?
Ariel Ribeiro acompanhado por Ana Bento + Bruno Pinto

O QUÊ?
Espetáculo

PARA QUEM?
Público-Geral

DURAÇÃO
35 min.

QUANDO?
12 de Julho, 19h00

ONDE?
Incubadora do Centro Histórico
Viseu, Portugal